Dicas para o calor

Com a chegada do calor existem alguns cuidados a ter com o seu patudo. Deixamos aqui algumas dicas para estes dias quentes:

 

  • Começando pelos passeios, aconselhamos a preferir percursos com sombras, para que o seu cão consiga abrigar-se do sol durante o passeio. O mesmo se aplica se o levar para a praia, deve levar sempre consigo o chapéu-de-sol. Evite os passeios durante as horas mais quentes do dia e tenha cuidado com o alcatrão, uma vez que pode provocar queimaduras nas almofadinhas plantares por estar muito quente.

 

  • Outro cuidado que deve ter é nunca deixar o seu animal dentro do carro. Os cães não têm a capacidade de transpirar como o ser humano (apenas o conseguem fazer ao nível das almofadinhas plantares) e dependem da sua capacidade de arfar para conseguirem diminuir a temperatura corporal, estando os gatos ainda menos adaptados a este processo. Esta compensação não é suficiente para o animal baixar a sua temperatura quando a temperatura externa atinge valores demasiado altos, tal como acontece num carro (em que a temperatura chega facilmente aos 40ºC, mesmo quando se deixa um pouco da janela aberta).

 

  • A água é indispensável nesta altura. Deve estar sempre disponível em abundância e deve verificar-se frequentemente se esta se encontra fresca e limpa. Pode colocar uns cubos de gelo na água do seu pet para que seja mais fácil refrescar-se.

 

  • Em relação à alimentação, por causa do calor, o seu animal pode estar mas caprichoso. Normalmente, nestas alturas acaba por ser mais simples alimentá-lo ao final do dia, altura em que está menos calor. Pode, também, optar por pequenas refeições ao longo do dia (sem aumentar a dose diária recomendada) ou optar por introduzir, também, alimentos húmidos, especialmente se o seu cão/gato não consome muita água.

 

  • Em cães com pelo muito comprido uma tosquia geral pode ser a solução para que aguente melhor o calor.

 

  • Molhar as patas do seu cão com água fria pode ajudar a refrescá-lo em dias muito quentes.

 

  • Animais muito jovens, idosos, com problemas cardíacos, respiratórios, renais entre outros, ou cães de focinho curto (chamados braquiocefálicos), animais obesos, animais com pelo comprido ou de cor escura, merecem uma atenção especial uma vez que têm tendência para aquecer mais rapidamente, desidratar mais facilmente ou podem ter maiores dificuldades em conseguir controlar a sua temperatura corporal.